Tags:, , , , , ,

Futebol americano já tem dois times em Salvador

- 05/02/2014

Atletas de futebol americano de Salvador se esforçam para manter o esporte ativo na cidade

Texto: Fábio Arcanjo e Luiz Fernando Teixeira
Fotos e video: Henrique Duarte

O que começou  como um hobby toma ares profissionais e o futebol americano em Salvador vai, aos poucos, ganhando reconhecimento e novos praticantes. O esporte conta com dois times estruturados na cidade: o Lauro de Freitas Kings (que surgiu da junção do Sotero Politans e do Salvador Red Phoenix) e o Vitória All Saints, que tem nas suas fileiras membros do antigo Salvador All Saints e do ainda mais antigo Feira de Santana Red Bulls.

“Por mais que eles se esforçassem, era muito complicado. Aqui, montar um time já foi difícil,  lá no interior era pior. Então, pelo bem do esporte, os times começaram a migrar, virando um time só”, como explica Carlos Neto, que joga no Vitória como wide receiver – jogador rápido que se desloca pelas pontas e é especialista em receber bons passes.

A internet também foi muito importante para a organização dos times, principalmente as redes sociais. Tanto o Orkut quanto o Facebook serviram de ponte para os interessados em praticar o futebol americano em Salvador, segundo Neto, que teve o primeiro contato com o esporte quando morava no Rio de Janeiro. “Pessoas que não conheciam o esporte hoje já têm interesse, porque é um esporte inclusivo, pessoas de todos os biotipos podem jogar – altos, baixos, gordos, fortes e magros”, conta Vinícius Farani, coordenador do Lauro de Freitas Kings.

[Assista o video:]

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=zm3ZKB9M3ME]

Influência de fora – Assim como o atual wide receiver do Vitória, a influência de pessoas de fora de Salvador foi determinante para o crescimento dos times. Uma dessas figuras é Jeffrey Lasogga, que jogou futebol americano no High School – o equivalente ao ensino médio brasileiro –  quando morava nos Estados Unidos e profissionalmente no Wuppertal Greyhounds e no Dusseldorf Panthers, em Wuppertal, sua terra natal.

Alemão radicado no Brasil, Lasogga foi um dos idealizadores do Feira de Santana Red Bulls, onde treinou até o fim do clube. Depois de uma breve passagem pelo Salvador Red Phoenix, é o atual coordenador ofensivo do Vitória All Saints. O clube ainda conta com um treinador escocês, Michael Smith, e com dois norte-americanos no elenco: Joshua Canup e Karl Kee, que rapidamente se tornaram destaques do time.

Jogador treina futebol americano em Salvador

O Kings não está muito atrás, já tendo iniciado conversas para trazer atletas com passagens pela NFL (National Football League, o principal campeonato da modalidade nos Estados Unidos). “Estamos em contato com os jogadores de lá pra fazerem treinamentos com a gente, existe todo um projeto a longo prazo”, explica Farani. O clube também tem entre seus membros jogadores que começaram a praticar o esporte enquanto moravam nos Estados Unidos.

Entenda o futebol americano

Dificuldades – Apesar do aumento do interesse, os times ainda passam por dificuldades para sair do amadorismo aqui em Salvador. De acordo com Fernando Sá, diretor esportivo do All Saints, eles não conseguem nem locais adequados para treinar. “Nosso maior problema é encontrar em Salvador campos capazes de suportar nossas necessidades e que sejam acessíveis. A gente tem que correr atrás, alugar campo, o que não é barato”, explica.

Vinícius Farani, do Kings, também aponta o problema dos campos. “Aqui em Salvador não temos um campo especial de futebol americano. Fizemos uma parceria com Lauro de Freitas, que concede pra gente um campo quando estamos em um campeonato, e estamos em busca de um campo de treino. Enquanto a gente está nesse processo, a gente faz treinos na areia, que são mais fortes”, finaliza.

Outro problema que os times enfrentam é a dificuldade para custear o material de proteção e passagens para jogar fora de Salvador, seja de avião ou de ônibus. “Quando jogamos campeonatos no Nordeste, é mais fácil, as distâncias são menores, viagens mais curtas e podemos ir de ônibus, nada impossível. Mas já tivemos que viajar de avião, e não foi barato, então cada atleta pagou do próprio bolso”, lamentou Fernando Sá.

Além de tentar novas formas de arrecadação para reembolsar parte desse valor, Sá tem como objetivo conseguir patrocínio, assim, os atletas não precisariam pagar mensalidade nem o material. Atualmente, cada um dos 70 atletas do Vitória tem que pagar R$ 50 por mês, que vão sendo guardados para eventualidades.

Campeonatos – Os times da Bahia participam da Liga Nordestina de Futebol Americano (Linaf), que classifica os melhores para a disputa do Campeonato Brasileiro de Futebol Americano, ou Brasil Bowl. A região Nordeste é onde o esporte mais cresce no país, com a presença de 14 times inscritos, sendo um deles o João Pessoa Espectros, o atual vice-campeão nacional.

Em 2013, o Salvador Kings ficou em sexto lugar na Divisão Sul da Linaf, e não conseguiu se classificar para a próxima fase. Foi a estreia do clube em competições nacionais. “A gente teve um resultado bastante positivo para um time de primeiro ano, os outros times até ficaram impressionados. Tivemos noção do que é jogar com pessoas de diversos estados, jogamos contra times de Aracaju, de Recife. Foi muito proveitoso, e acho que esse ano estamos muito mais focados, pois sabemos o que é a realidade de um campeonato brasileiro”, relata ele, que também é jogador do time.

Já o Vitória deixou de participar da Linaf em 2013 porque escolheu jogar no Torneio Touchdown, competição organizada em parceria com o canal de televisão fechada BandSports, responsável pela transmissão das partidas. “Fomos o primeiro clube do Nordeste a participar. O nível de organização é maior que já disputamos, com 20 times. Ganhamos um jogo e chegamos perto de ganhar outros dois, mas valeu mais a experiência de jogar com os times mais fortes do Brasil”, relembra Fernando Sá.

Jogadores treinam futebol americano em Salvador

Legado – Eles sabem que ainda estão longe de sair do amadorismo, mas os praticantes do futebol americano em Salvador pensam longe. “Pretendo que isso faça parte de minha vida até quando eu estiver mais velho e não puder jogar, e então eu possa estar ensinando e passar a experiência”, diz Carlos Neto. Já Fernando Sá sonha ainda mais alto: “Eu quero ver onde a gente pode chegar, ver o esporte crescer mais e se tornar parte do cotidiano de todo mundo em Salvador”, afirma. Farani vai além: “Acho que a gente está iniciando uma longa jornada. Somos a ponta de um iceberg que deve crescer cada vez mais”, disse.

Leia Mais

Entenda o futebol americano

EDIÇÃO 2022.2

A invisibilidade que nos cerca

De que perspectiva você enxerga o que está ao seu redor? A segunda edição de 2022 do Impressão Digital 126, produto laboratorial da disciplina Oficina de Jornalismo Digital (COM 126) da FACOM | UFBA, traz diferentes ângulos jornalísticos sobre o que nos marca enquanto sociedade, especialmente àquilo que fazemos questão de fingir que não existe. […]

Turma 2022.2 - 07/12/2022

De R$ 4,90 para R$ 5,20

Aumento da tarifa de ônibus em Salvador afeta rotina de estudantes universitários

Estudantes relatam dificuldades criadas pelo aumento do valor da passagem de ônibus em Salvador O aumento de trinta centavos no valor da passagem de ônibus em Salvador (R$4,90 para R$5,20), anunciado de maneira repentina pela Prefeitura, entrou em vigor no dia 13 de novembro. Tal medida vem prejudicando o cotidiano dos estudantes, especialmente aqueles que […]

Jessica Santana, Laura Rosa, Lucas Dias, Lucas Mat - 07/12/2023

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Bahia é terceiro estado com maior número de partos em menores de idade

Estado registrou 6.625 partos em mulheres de até 17 anos; especialistas apontam falta de acesso à educação sexual como um dos principais motivadores Defendida por parte da sociedade e rechaçada por outra parcela, a educação sexual nas escolas é um tema que costuma causar polêmica quando debatido. Ainda assim, seu caráter contraditório não anula o […]

Larissa A, Lila S., Luísa X., Patrick S - 07/12/2023

catadores da cooperativa Canore reunidos

Desenvolvimento sustentável

Racismo Ambiental em Salvador e Economia Circular

Entenda como esse modelo de produção une sustentabilidade, cooperativas de reciclagem e a luta contra as desigualdades sociais Em meio à crise das mudanças climáticas, a cidade de Salvador tem registrado temperaturas maiores do que a média histórica, chegando a sensações térmicas acima dos 34ºC. Para combater os efeitos do aquecimento global, organizações e iniciativas […]

Anna Luiza S., Jackson S., Luiza G. e Pedro B. - 06/12/2023

Na imagem, uma mulher de blusa verde segura uma cesta com plantas medicinais em frente a uma barraca laranja que tem outras plantas e bananas

Desenvolvimento Sustentável

Feira une produção e consumo sustentáveis na UFBA

Realizada às sextas-feiras, Feira Agroecológica da UFBA se torna elo de ligação entre pequenos produtores e consumidores em busca de alimentação saudável A Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia – apelidada carinhosamente de “Feirinha” – é um projeto de extensão do componente curricular “BIOD08 – Comercializando a Produção Agroecológica”, ministrado no Instituto de Biologia […]

Celso Lopez;Daniel Farias;Jade Araújo;Melanye Leal - 06/12/2023