Como estaria o Brasileirão com auxílio do VAR?

Lara Ferreira, Wendel Novais e William Tales - 03/10/2018

Simulamos a tabela, os gols e os cartões que seriam alterados se o árbitro de vídeo estivesse presente no maior campeonato do país

Por Lara Ferreira, Wendel Novais e William Tales

 

A arbitragem no futebol é alvo de polêmicas desde a sua existência. No futebol brasileiro não é diferente. Quantas vezes numa mesa de bar, ou em qualquer outro lugar, você deve ter escutado que um time A foi favorecido, enquanto um time B foi prejudicado? Será que, com o VAR (Video Assistant Referee), essas polêmicas poderiam ter fim, pelo menos no campeonato mais importante do país? Simulamos a tabela.

Antes da simulação, é importante entender o que é VAR e como ele é utilizado. A tecnologia criada pela FIFA (Fédération Internationale Football Association) é constituída por uma equipe de juízes e ex-juízes de futebol que permanecem em uma central de vídeo fora do estádio acompanhando por vários monitores de TV toda partida. A equipe recebe também o auxílio de técnicos em vídeos que escolhem os melhores ângulos de lances duvidosos para o replay da jogada. Em uma das margens do gramado, o juiz principal poderá rever o lance em um monitor de TV e tomar a sua decisão.

O objetivo principal do auxílio é interferir em lances que os árbitros de vídeo julgaram receber marcação errada. Apesar disso, não são em todas as decisões que o VAR pode entrar em ação. A tecnologia pode ser utilizada em jogadas que envolvam pênalti e cartão vermelho, tanto para retirar as penalidades, quanto para marcá-las. Além dessas, os gols validados ou não validados podem ser questionados, assim como cartões oriundos de confusão em campo. Em caso de falta com cartão amarelo, a assistência só questiona se interpretar que a situação merecia vermelho, ou se for pra questionar um segundo amarelo, já que envolve expulsão. No geral, o propósito é agir em momentos de marcações graves que interfiram no curso do jogo. É importante lembrar, no entanto, que a decisão final é sempre do juiz de campo.

Polêmicas

No dia 5 de fevereiro deste ano foi realizada uma votação com todos os clubes que participam da Série A do Campeonato Brasileiro 2018. Destes, sete votaram a favor, doze votaram contra, e o São Paulo não votou, já que o presidente do time foi embora no momento da votação. Na Bahia, o Vitória foi contrário e o tricolor do estado favorável. A principal justificativa para os que não aprovaram o uso do VAR no Brasileirão foi o fator econômico, já que cada clube teria que desembolsar R$ 1 milhão para custear a tecnologia.

Se no Campeonato Brasileiro o VAR ainda não está presente, na Copa do Brasil 2018 ele aparece, mas já protagonizou várias falhas. Os erros vão desde jogadores que não compreendem o funcionamento da tecnologia, como Dudu, do Palmeiras, que pediu o auxílio em lateral, até árbitros que não seguem o procedimento correto, como o Dewson Fernando Freitas da Silva. Ele marcou, equivocadamente, falta para o Cruzeiro contra o Palmeiras na área do próprio Cruzeiro e interrompeu o lance pouco antes de Antônio Carlos chutar para o gol, que foi invalidado, uma vez que a jogada já havia sido parada. Caso o lance tivesse continuado e o gol valesse, o VAR poderia analisar a situação para averiguar se realmente houve falta.

Na Libertadores da América 2018, o árbitro de vídeo também estava presente e, apesar de grandes acertos, errou gravemente. Em jogo do Boca Juniors contra o Cruzeiro, o jogador Dedé foi expulso após interferência do VAR. O juiz Eber Aquino, que apitou a partida, havia deixado seguir o lance de choque entre o jogador do time brasileiro e o goleiro do Boca, mas, após o auxílio ser acionado, ele apresentou cartão vermelho ao jogador.

Como nem só de falhas vive o VAR, a Copa do Mundo 2018, com ajuda da tecnologia, teve o maior índice de lances corretos da história do campeonato, sendo 99,3% de acertos. Uma das interferências foi, até mesmo, na final do torneio, quando o árbitro Nestor Pitana foi até o monitor, verificou o replay de um lance e marcou pênalti de Ivan Perišić, da Croácia, por mão na bola. Griezmann converteu a penalidade em gol.

Desavenças

Após ter o maior holofote de sua história, o árbitro de vídeo entrou de vez nas discussões de boteco e de grandes programas esportivos. Entretanto, se engana quem pensa que a tecnologia é unanimidade na opinião popular e especializada. Para falar sobre isso, entrevistamos Arnaldo Ribeiro, chefe de redação da ESPN, e Sálvio Spínola, ex-árbitro e comentarista de arbitragem do mesmo canal, que deram motivos contra e a favor da implantação do VAR.

 

 

Critérios

Nesta reportagem foram utilizadas como critério as regras de usabilidade do VAR, e apenas os lances em que a essa tecnologia poderia interferir foram analisados. Foi considerado que todos os árbitros de campo seguiriam o procedimento correto, que todos os lances com marcação incorreta seriam contestados pelos árbitros de vídeo e que todas as vezes que o juiz fosse revisar o lance interpretasse corretamente.

Durante o processo de criação, em caso de dúvidas, era marcado como a maioria dos três autores da matéria concordava. Os jogadores que foram suspensos de jogos por cartões adicionados na simulação também perderam os gols e as assistências feitas nas partidas que jogaram na realidade. Os cartões adquiridos nesses jogos também foram retirados. Nos pênaltis adicionados, foi considerado conversão em gol  automático. Em times com batedores oficiais, a autoria do gol foi nomeada. Em times sem batedores oficiais, não foi nomeado autoria. Confira aqui o Lance a Lance de todas as alterações, até a Rodada 27.

Tabela simulada

 

 

Gols alterados

 

Cartões alterados

 

Podcast

Chegamos ao final da reportagem, mas, para você que quer saber mais curiosidades sobre o VAR e mais detalhes, pode apertar o play no nosso podcast abaixo:

EDIÇÃO 2022.2

A invisibilidade que nos cerca

De que perspectiva você enxerga o que está ao seu redor? A segunda edição de 2022 do Impressão Digital 126, produto laboratorial da disciplina Oficina de Jornalismo Digital (COM 126) da FACOM | UFBA, traz diferentes ângulos jornalísticos sobre o que nos marca enquanto sociedade, especialmente àquilo que fazemos questão de fingir que não existe. […]

Turma 2022.2 - 07/12/2022

De R$ 4,90 para R$ 5,20

Aumento da tarifa de ônibus em Salvador afeta rotina de estudantes universitários

Estudantes relatam dificuldades criadas pelo aumento do valor da passagem de ônibus em Salvador O aumento de trinta centavos no valor da passagem de ônibus em Salvador (R$4,90 para R$5,20), anunciado de maneira repentina pela Prefeitura, entrou em vigor no dia 13 de novembro. Tal medida vem prejudicando o cotidiano dos estudantes, especialmente aqueles que […]

Jessica Santana, Laura Rosa, Lucas Dias, Lucas Mat - 07/12/2023

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Bahia é terceiro estado com maior número de partos em menores de idade

Estado registrou 6.625 partos em mulheres de até 17 anos; especialistas apontam falta de acesso à educação sexual como um dos principais motivadores Defendida por parte da sociedade e rechaçada por outra parcela, a educação sexual nas escolas é um tema que costuma causar polêmica quando debatido. Ainda assim, seu caráter contraditório não anula o […]

Larissa A, Lila S., Luísa X., Patrick S - 07/12/2023

catadores da cooperativa Canore reunidos

Desenvolvimento sustentável

Racismo Ambiental em Salvador e Economia Circular

Entenda como esse modelo de produção une sustentabilidade, cooperativas de reciclagem e a luta contra as desigualdades sociais Em meio à crise das mudanças climáticas, a cidade de Salvador tem registrado temperaturas maiores do que a média histórica, chegando a sensações térmicas acima dos 34ºC. Para combater os efeitos do aquecimento global, organizações e iniciativas […]

Anna Luiza S., Jackson S., Luiza G. e Pedro B. - 06/12/2023

Na imagem, uma mulher de blusa verde segura uma cesta com plantas medicinais em frente a uma barraca laranja que tem outras plantas e bananas

Desenvolvimento Sustentável

Feira une produção e consumo sustentáveis na UFBA

Realizada às sextas-feiras, Feira Agroecológica da UFBA se torna elo de ligação entre pequenos produtores e consumidores em busca de alimentação saudável A Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia – apelidada carinhosamente de “Feirinha” – é um projeto de extensão do componente curricular “BIOD08 – Comercializando a Produção Agroecológica”, ministrado no Instituto de Biologia […]

Celso Lopez;Daniel Farias;Jade Araújo;Melanye Leal - 06/12/2023