Tags:, , ,

Grafite no Solar do Unhão

- 14/08/2013

Museu de street art de Salvador completa um ano em comunidade do Solar do Unhão

Fernanda Sobral

Quem frequenta o Museu de Arte Moderna (MAM), na Av. Contorno, provavelmente já reparou nas casinhas à beira-mar que compõem a paisagem do local. São aquelas casas que formam a comunidade do Solar do Unhão. Lá, está instalado um museu a céu aberto que reúne esculturas, fotografias e grafites. Idealizado pelos grafiteiros Marcos Prisk, Júlio Costa e Jocivaldo “Bigod” Silva, criadores e integrantes do coletivo de grafite Nova 10 Ordem, e pela designer de moda Thais Muniz, o Museu de Street Artde Salvador (MUSAS) completou um ano neste mês.

MUSAS foi criado pelo coletivo de grafite Nova 10 Ordem| Foto: Ricardo Gonzalez

A ideia inicial do projeto surgiu em janeiro de 2012, quando o coletivo Nova 10 Ordem resolveu fazer uma pintura na comunidade em homenagem à “Revolta dos Malês”. “Quando chegamos lá ficamos encantados. A arquitetura era muito bonita, mas estava tudo meio estragado”, conta Júlio Costa. Com as idas constantes à comunidade, os artistas pediram autorização aos moradores para pintar algumas vielas e muros. Estava feita a primeira ação de integração criativa do coletivo. Uma coisa levou a outra e então acabaram alugando uma casa na região. No início, o local servia como apenas como espaço para fazer refeições e guardar materiais, mas logo se transformou em um espaço para exposições. “A gente queria criar um espaço que pudesse servir para artistas que não têm a chance de levar seu trabalho a uma galeria paga”, afirma Marcos Prisk.

O grafite e a comunidade – Quando o MUSAS foi inaugurado, não estava entre os objetivos ajudar a comunidade. “A gente veio pela vista maravilhosa da Baía de Todos os Santos e pelo preço do aluguel. Em momento algum a ideia foi dizer que estamos fazendo o bem através do grafite”, garante Julio. Porém o grafiteiro reconhece que mesmo “sem querer”, através de visitas, interesse da mídia e divulgação via redes sociais, o MUSAS acabou gerando benefícios para a comunidade. “Acho que acabamos contribuindo na quebra do paradigma de que a comunidade Solar do Unhão não é um lugar para socializar. Queremos que aqui seja um lugar que as pessoas queiram visitar e possam expressar sua criatividade com liberdade”.

Museu promove oficinas gratuitas | Foto: Catarina Sampaio

Comunidade do Solar do Unhão é beneficiada pelo MUSAS | Foto: Catarina Sampaio

Se quando surgiu não era objetivo do MUSAS ser um projeto de assistência social, hoje a história é diferente. Além de servir como espaço para exposições, o museu também promove oficinas gratuitas de serigrafia, fotografia e grafite, além de sessões gratuitas de cinema para a comunidade toda quarta-feira. “O MUSAS é um projeto de integração e é importante estimular o interesse da população local pela arte”, explica Marcos Prisk. Além das oficinas, o coletivo também promove projetos como o “Cegonha DEZordeira” e o “Papai Noel DEZordeiro”, que arrecadam dinheiro através da venda de obras de arte para contribuir com presentes de chás de bebê e festas de natal, respectivamente, em bairros da periferia.

Moqueca que alimenta a autoestima – A realização constante de eventos no museu e o vai-e-vem de artistas provocou o crescimento da economia local. Um dos exemplos é o famoso restaurante de Suzana Sapucaia, que ficou inativo durante algum tempo. “Eu fechei o restaurante porque não tinha movimento, aí não valia a pena. Depois que os meninos chegaram, toda semana vem 15, 20 pessoas para almoçar”. Hoje o restaurante é point aos sábados, quando serve moqueca de peixe. Além da moqueca tradicional, o restaurante também oferece soja com dendê, opção vegan para aqueles que não comem carne. Dona Suzana espera que daqui pra frente seu restaurante cresça ainda mais. “O aumento do movimento melhorou minha renda e eu espero, se Deus quiser, poder abrir aqui meu restaurante de comida baiana”.

Dona Suzana comemora movimento em seu restaurante | Reprodução

Maurício Galvão, idealizador do Salvador Meu Amor, campanha que reúne diversos grupos e coletivos, entre eles o MUSAS, acredita que o museu está transformando a comunidade do Solar do Unhão na primeira “favela visitável” de Salvador. “Um projeto como o MUSAS resgata a autoestima de um local da cidade que antes não recebia tanta atenção e mostra que a comunidade pode oferecer muito mais que violência ou problema com drogas”, afirma Maurício. Dona Maria da Costa, moradora do Solar do Unhão há 20 anos, aprova o projeto. “Antes era tudo feio. Nossas casas estavam com os muros largados e sem pintura. Os meninos estão deixando nossa comunidade muito mais bonita e agora todo tipo de gente aparece aqui para nos visitar”, conta. 

Leia mais

Para o bem de Salvador

EDIÇÃO 2022.2

A invisibilidade que nos cerca

De que perspectiva você enxerga o que está ao seu redor? A segunda edição de 2022 do Impressão Digital 126, produto laboratorial da disciplina Oficina de Jornalismo Digital (COM 126) da FACOM | UFBA, traz diferentes ângulos jornalísticos sobre o que nos marca enquanto sociedade, especialmente àquilo que fazemos questão de fingir que não existe. […]

Turma 2022.2 - 07/12/2022

De R$ 4,90 para R$ 5,20

Aumento da tarifa de ônibus em Salvador afeta rotina de estudantes universitários

Estudantes relatam dificuldades criadas pelo aumento do valor da passagem de ônibus em Salvador O aumento de trinta centavos no valor da passagem de ônibus em Salvador (R$4,90 para R$5,20), anunciado de maneira repentina pela Prefeitura, entrou em vigor no dia 13 de novembro. Tal medida vem prejudicando o cotidiano dos estudantes, especialmente aqueles que […]

Jessica Santana, Laura Rosa, Lucas Dias, Lucas Mat - 07/12/2023

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Bahia é terceiro estado com maior número de partos em menores de idade

Estado registrou 6.625 partos em mulheres de até 17 anos; especialistas apontam falta de acesso à educação sexual como um dos principais motivadores Defendida por parte da sociedade e rechaçada por outra parcela, a educação sexual nas escolas é um tema que costuma causar polêmica quando debatido. Ainda assim, seu caráter contraditório não anula o […]

Larissa A, Lila S., Luísa X., Patrick S - 07/12/2023

catadores da cooperativa Canore reunidos

Desenvolvimento sustentável

Racismo Ambiental em Salvador e Economia Circular

Entenda como esse modelo de produção une sustentabilidade, cooperativas de reciclagem e a luta contra as desigualdades sociais Em meio à crise das mudanças climáticas, a cidade de Salvador tem registrado temperaturas maiores do que a média histórica, chegando a sensações térmicas acima dos 34ºC. Para combater os efeitos do aquecimento global, organizações e iniciativas […]

Anna Luiza S., Jackson S., Luiza G. e Pedro B. - 06/12/2023

Na imagem, uma mulher de blusa verde segura uma cesta com plantas medicinais em frente a uma barraca laranja que tem outras plantas e bananas

Desenvolvimento Sustentável

Feira une produção e consumo sustentáveis na UFBA

Realizada às sextas-feiras, Feira Agroecológica da UFBA se torna elo de ligação entre pequenos produtores e consumidores em busca de alimentação saudável A Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia – apelidada carinhosamente de “Feirinha” – é um projeto de extensão do componente curricular “BIOD08 – Comercializando a Produção Agroecológica”, ministrado no Instituto de Biologia […]

Celso Lopez;Daniel Farias;Jade Araújo;Melanye Leal - 06/12/2023