“O mercado (em Salvador) está “viciado” nos mesmos artistas”

- 11/09/2013

A produtora baiana Flávia Motta fala sobre os desafios da produção cultural na Bahia e diz que o poder público e empresas devem investir mais no setor

Danilo Pestana e Vander Batista

Formada em Publicidade, Flávia Motta, 31 anos, fez carreira na área de Produção Cultural, principalmente ligada a eventos de música. Atuando de forma profissional desde 2005, é responsável pela produção e divulgação do trabalho da artista Sandra Simões, mas acumula no currículo experiências com vários cantores e cantoras de Salvador, além de artistas de fora do estado, como Leila Pinheiro. Apaixonada pelo que faz, Flávia acredita que Salvador produz muitos bons artistas e deseja que outros estilos musicais, além do axé e do pagode, sejam apreciados por seus moradores e reconhecidos pelo poder público e iniciativa privada.

Divulgação

Impressão Digital 126: Qual sua motivação para trabalhar com produção musical?

Flávia Motta: A produção musical é minha paixão, meu combustível. Trabalho com música desde 2000, quando ainda fazia faculdade de publicidade.

ID 126: Você trabalha de forma independente ou está vinculada a alguma produtora?

FM: Trabalho de forma independente, como microempreendedora individual.

ID 126: Já realizou trabalhos com quais artistas da música?

FM: Administro a carreira da cantora Sandra Simões desde 2006, com quem já passei momentos incríveis. Também trabalhei com outros artistas baianos, como Manuela Rodrigues, Cláudia Cunha, Andréa Daltro, Nara Gil e Pedro Morais. Atuei na produção local de artistas de fora como Fabiana Cozza e Adriana Moreira e fiz produções maiores, como shows de Caetano Veloso e Jau e de Leila Pinheiro.

ID 126: Quais as principais dificuldades para atuar nesse ramo?

FM: O principal obstáculo é conseguir patrocínio para as produções.

ID 126: Mesmo assim, você já teve patrocínio para suas produções?

FM: Poucas vezes… (risadas) Por isso, na maioria das vezes, tive que produzir com pouca ou nenhuma verba.

ID 126: Já buscou editais para conseguir recursos e/ou patrocínios para os eventos de música que coordena?

FM: Vejo que aqui em Salvador essa é a única possibilidade de conseguir apoio. O projeto Três na Folia foi aprovado e foi realizado entre os anos de 2009 e 2011. Em 2010, fiz mais quatros shows com o Três na Folia pelo edital Tô no Pelô. No ano seguinte, a gravação do CD de Sandra Simões foi aprovada pelo FAZCULTURA e, em 2013, ainda com Sandra, ganhamos um edital para realizar o carnaval no Pelourinho.

ID 126: Já teve experiência com produção de eventos em outras cidades?

FM: Tanto em cidades do interior como capitais. Tenho experiências em Santo Amaro, onde a dificuldade para trabalhar na área é ainda maior, pois não há público suficiente e nem incentivo da prefeitura ou iniciativa privada. E já tive oportunidade de produzir em São Paulo, viajando com a banda Afrobailão, com patrocínio, divulgação e todas as despesas pagas.

ID 126: Como você vê o mercado da produção cultural em Salvador, principalmente na área musical?

FM: O mercado está “viciado” nos mesmos artistas e isso dificulta a carreira de outros, com falta de recursos e interesse mesmo. Mas, é preciso entender que Salvador produz de forma efervescente e bela. Temos muitos bons artistas aqui.

ID 126: Quais as expectativas para sua carreira na área de produção?

Desejo muito que o mercado musical de Salvador aposte também na música que se ouve no Brasil, agregando outros estilos musicais, além do axé e do pagode. Isso fará com que os moradores daqui apreciem artistas que fogem a esse padrão. Além de chamar a atenção do poder público e das empresas para que invistam na carreira desses artistas.

 

Leia mais

Muito além do pagode e do axé

 

EDIÇÃO 2022.2

A invisibilidade que nos cerca

De que perspectiva você enxerga o que está ao seu redor? A segunda edição de 2022 do Impressão Digital 126, produto laboratorial da disciplina Oficina de Jornalismo Digital (COM 126) da FACOM | UFBA, traz diferentes ângulos jornalísticos sobre o que nos marca enquanto sociedade, especialmente àquilo que fazemos questão de fingir que não existe. […]

Turma 2022.2 - 07/12/2022

De R$ 4,90 para R$ 5,20

Aumento da tarifa de ônibus em Salvador afeta rotina de estudantes universitários

Estudantes relatam dificuldades criadas pelo aumento do valor da passagem de ônibus em Salvador O aumento de trinta centavos no valor da passagem de ônibus em Salvador (R$4,90 para R$5,20), anunciado de maneira repentina pela Prefeitura, entrou em vigor no dia 13 de novembro. Tal medida vem prejudicando o cotidiano dos estudantes, especialmente aqueles que […]

Jessica Santana, Laura Rosa, Lucas Dias, Lucas Mat - 07/12/2023

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Bahia é terceiro estado com maior número de partos em menores de idade

Estado registrou 6.625 partos em mulheres de até 17 anos; especialistas apontam falta de acesso à educação sexual como um dos principais motivadores Defendida por parte da sociedade e rechaçada por outra parcela, a educação sexual nas escolas é um tema que costuma causar polêmica quando debatido. Ainda assim, seu caráter contraditório não anula o […]

Larissa A, Lila S., Luísa X., Patrick S - 07/12/2023

catadores da cooperativa Canore reunidos

Desenvolvimento sustentável

Racismo Ambiental em Salvador e Economia Circular

Entenda como esse modelo de produção une sustentabilidade, cooperativas de reciclagem e a luta contra as desigualdades sociais Em meio à crise das mudanças climáticas, a cidade de Salvador tem registrado temperaturas maiores do que a média histórica, chegando a sensações térmicas acima dos 34ºC. Para combater os efeitos do aquecimento global, organizações e iniciativas […]

Anna Luiza S., Jackson S., Luiza G. e Pedro B. - 06/12/2023

Na imagem, uma mulher de blusa verde segura uma cesta com plantas medicinais em frente a uma barraca laranja que tem outras plantas e bananas

Desenvolvimento Sustentável

Feira une produção e consumo sustentáveis na UFBA

Realizada às sextas-feiras, Feira Agroecológica da UFBA se torna elo de ligação entre pequenos produtores e consumidores em busca de alimentação saudável A Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia – apelidada carinhosamente de “Feirinha” – é um projeto de extensão do componente curricular “BIOD08 – Comercializando a Produção Agroecológica”, ministrado no Instituto de Biologia […]

Celso Lopez;Daniel Farias;Jade Araújo;Melanye Leal - 06/12/2023