Publicação independente digital

Alana Ellen Medrado e Mariana De Siervi - 06/07/2022

As vantagens e desvantagens de uma publicação digital e como ela funciona

No meio das incertezas que a pandemia causou desde 2020, a cultura foi um dos bálsamos para manter a população com esperança. E a literatura teve lugar de destaque, ganhando grande espaço entre os hábitos dos brasileiros a partir do final de 2020 para 2021, o que impulsionou um crescimento de 29,3% em volumes vendidos em todo o país.


Os livros viraram grandes companheiros durante o período pandêmico e, com o fechamento de várias livrarias por conta da crise sanitária, uma alternativa rápida, prática e de fácil acesso foi a aquisição de livros por meio digital, mais conhecidos como e-books.


Os e-books caíram no gosto do público e representam uma nova forma de se consumir livros, tornando-se também uma alternativa para escritores se manterem na profissão e uma oportunidade para os novos. A expansão desse mercado literário digital contabilizou, só em 2021, cerca de R$125 milhões em vendas de e-books individuais por meio de plataformas digitais e bibliotecas virtuais.


Diante dessa nova forma de economia literária que se instalou a partir dos livros digitais, vimos um aumento crescente de plataformas digitais que criaram uma ponte entre o mundo dos escritores e seus leitores através da internet. Essas plataformas ganharam força por permitirem que os livros digitais sejam distribuídos e comercializados a partir de simples comandos dentro de plataformas como Amazon, proprietária do famoso leitor de e-books: o Kindle.

Foto: Alana Ellen Medrado


Outra plataforma conhecida por hospedar livros, poemas e histórias autorais é o Wattpad. Com seu lançamento em 2006, o site constitui de uma comunidade que reúne escritores e leitores dentro do seu espaço virtual, permitindo o compartilhamento de histórias autorais, de forma independente e a troca de comentários entre seus usuários. O site também disponibiliza sua versão em aplicativo para celulares Android e IOS.


O serviço de publicação de livros na plataforma acontece de forma intuitiva e fácil para que qualquer usuário possa publicar os seus textos na plataforma. Colocamos um passo-a-passo de como fazer a publicação a partir do aplicativo.

Fonte: Alana Ellen Medrado e Mariana De Siervi

E como ficam as editoras que trabalham livros físicos? O que essa nova maneira de se publicar representa para eles? Entramos em contato com dois diretores de duas editoras baianas e cada um expôs suas opiniões sobre o assunto.


Primo Luíz Maldonado, diretor da Livraria LDM, nos conta um pouco sobre sua experiência no mercado literário e nos expõe o seu ponto de vista em relação à nova onda de publicações no âmbito digital e como isso pode impactar a vida de novos escritores independentes:

Entrevista com Primo Luíz Maldonado

Por outro lado, Fernando Oberlaender, diretor e criador da Editora Caramurê, que é focada em publicações regionais com autores 100% baianos diz que considera um risco tomar a decisão de publicar de maneira autônoma, já que não teria profissionais de editoras que trabalham junto com o autor.

Entrevista com Fernando Oberlaender

Essa facilidade de publicação nem sempre esteve presente e acessível na vida dos escritores. Há dez anos a prática de publicações independentes era um obstáculo a ser ultrapassado. Confira aqui uma matéria do Impressão Digital 126 que relata as dificuldades enfrentadas anteriormente.

Vantagens para escritores estreantes

A publicação independente abriu portas para que escritores iniciantes pudessem publicar suas histórias sem a burocracia de editoras convencionais. “Minhas motivações para publicar os livros na plataforma digital foi pensar que o trabalho seria entregue para outras pessoas, sem ficar restrito a uma cena local, restrito a Salvador”, conta Victor Buqa, produtor cultural, estudante de Jornalismo da Faculdade de Comunicação da UFBA, cantor e escritor independente que, no final de 2020, publicou tanto em formato físico quanto digital seu primeiro livro “Roca de Fiar e outros contos”, tendo como gênero principal o terror.


Victor sempre teve influência da literatura em sua vida desde a infância. Com mãe professora de português e redação e pai escritor de contos e peças, sempre acreditou que trabalharia com a escrita. “Eu não sabia profissionalmente o que eu seria, mas sabia que a escrita deveria aparecer de alguma forma”, afirma.


Para o soteropolitano de 25 anos, a maior vantagem de ter publicado de forma digital e por conta própria foi principalmente o controle e a maior visibilidade para o seu trabalho: “Você tem controle sobre a obra, controle da comunicação, o que você vai fazendo em relação a isso e, ao mesmo tempo, a amplitude no alcance. Alcançar outras pessoas que você não imaginava”, explica ele.

Imagem de Victor
Imagem: Reprodução/ Instagram @victorbuqa

Já a também estudante de Jornalismo da FACOM | UFBA e escritora independente Luana Minho Rabelo, de 22 anos, optou por uma produção independente, sem passar por plataformas ou por editoras consolidadas, bancando o investimento do próprio bolso. Luana publicou recentemente seu livro de estreia, um romance chamado ‘O último primeiro amor’, e considera que o custo baixo para publicar no formato impresso foi a principal vantagem.


A escritora que começou no mundo da literatura quando não ficou satisfeita com o final de um filme que estava assistindo e resolveu reescrevê-lo do jeito que imaginava, fala também porque escolheu publicar de forma independente, sem tentar contato com alguma editora: “Queria ter controle total da produção”.

Imagem de Luana
Imagem: Reprodução/ Instagram @luaminhorabelo

Desvantagens
Mesmo com maiores facilidades de se publicar livros digitalmente e de forma autônoma, existem desvantagens neste processo, para estes escritores independentes. Uma dessas desvantagens desse processo são as redes sociais. Atualmente ter um bom engajamento nas redes, se torna um parâmetro para a recepção do público. Quando questionado sobre isso, Victor Buqa responde:
“É difícil falar em recepção do público quando se trata de um ator independente. Parece que hoje em dia você precisa não ser só escritor/ autor, você precisa ter uma presença nas redes sociais, seja Twitter, seja Instagram, seja Facebook. Que você crie mesmo uma comunidade, você comece a buscar leitores para suas possíveis obras e oferecer conteúdo para essas pessoas também” disse.


Ainda falando de desvantagens no meio literário, Buqa ainda fala sobre valores referentes às publicações:
“Outra desvantagem é a questão de o quanto a Amazon cobra ou repassa, do valor e de quanto isso chega até você. É muito pouco se você for pesquisar, os valores reais é uma realidade bem difícil”

Reconhecimento
Como dito anteriormente, começar uma carreira como escritor em plataformas digitais tem suas vantagens e desvantagens. E também tem escritores que começaram pela internet e, com o tempo, conseguem reconhecimento e visibilidade com as editoras. Esse foi o caso de Clara Alves, jornalista e escritora que atualmente escreve para a Companhia das Letras e seu livro “ Conectadas”, de 2019, já ficou em 1°lugar dentre os “Mais Vendidos em Literatura e Ficção para Adolescentes: Sobre Meninas e Mulheres” no Amazon Prime.


A carioca de 29 anos iniciou sua trajetória como escritora com oito anos de idade lendo a saga “Harry Potter” e se apaixonou pelo mundo da literatura. Mas foi a partir das webnovelas, ainda na rede social Orkut (que fazia sucesso na época), que ela veio publicar seu primeiro livro: “Além da amizade”, chegando a ter mais de cinco mil membros na comunidade acompanhando a história.


“Eu sempre fui muito apaixonada por escrever e eu gostei muito de ter esse feedback de leitores, de saber que as pessoas estavam lendo, gostando, opinando. Sempre foi uma coisa que me ajudou a seguir em frente”, conta Clara sobre a recepção obtida com seu primeiro livro.

Imagem: Reprodução/ Instagram @claraalvesg

Clara também descreve quais foram as desvantagens em publicar digitalmente:

“O fato de você ter que fazer tudo sozinha, diferentemente de uma publicação tradicional que você tem apoio de uma editora, você tem produção, impressão do livro, revisão e tudo mais, pago pela editora. Quando você trabalha sozinha, é independente e tudo isso precisa sair do seu bolso”. 

Mesmo assim, a escritora garante que ter começado sua carreira de uma forma não tradicional, a ajudou muito, principalmente a decidir sobre o que gostava de escrever: 

“Sempre que as pessoas me pedem dicas de como começar a escrever, uma coisa que eu sempre falo: publique independente. Porque publicar independente me ajudou muito a crescer como escritora, me ajudou a entender o que eu gosto de escrever, para quem eu gosto de escrever, como funciona o mercado, como lidar com as críticas e frustrações”.

E Clara acrescenta: “Lembre-se de que agora, diferentemente de Wattpad e outras plataformas gratuitas, você está vendendo seu trabalho. Então, tente investir numa forma de profissionalizar esse seu produto, de deixá-lo da melhor forma possível para seu leitor”. 

Atualmente, “Conectadas” alcançou 100 mil cópias vendidas. Um marco e tanto para a carreira de Clara Alves. E, além de um sucesso na literatura contemporânea brasileira, trata-se de uma história de um casal sáfico, ou seja de um casal de duas adolescentes que se apaixonam através de um jogo online, trazendo assim mais representatividade para livros nacionais “Fico feliz de ter conseguido atingir esse marco. Confesso que até hoje não sei muito bem como isso aconteceu, mas é muito importante para mim ter conseguido esse sonho. Acho que principalmente por “Conectadas” se tratar de uma história LGBT, romance adolescente entre garotas”, completou. 

Imagem de Clara
Imagem: Reprodução/ Instagram @claraalvesg

Confira na íntegra, Clara Alves contando mais sobre sua trajetória como escritora:

Como monetizar o meu livro no digital?


Atualmente, o Kindle é disponibilizado em três gerações do dispositivo físico: o Kindle 10ª geração (modelo de entrada), Paperwhite (modelo intermediário) e o Oasis (modelo premium). Apesar de ter sua versão em dispositivo físico, há também a possibilidade do uso do Kindle enquanto aplicativo para celular, sendo disponibilizado dentro das lojas Apple Store e Google Play Store.
Em todas as suas funcionalidades, o Kindle oferece ao usuário a possibilidade de usufruir do seu livro através do passo a passo descrito na aba do Kindle, dentro do site da Amazon.


Já na aba “publique seu livro”, encontra-se o Kindle Directing Publishing, espaço no site que dá acesso ao manual para se publicar um livro na plataforma de forma independente, seja no formato e-book ou no formato tradicional. A página mantém uma política de publicação de livros que instrui o autor ou autora na formatação do manuscrito e capa antes do upload ser feito na plataforma.

Print – Rodapé da página do site da Amazon onde se encontra a aba de “publique seu livro”

Há uma lista do que pode e o que não pode ser alterado após a publicação do livro, deixando a parte de inserção de detalhes totalmente nas mãos de autores ou de quem irá publicar o livro. Após visto os detalhes como correção de ortografia, diagramação do manuscrito e capa, a pessoa é direcionada para aba na qual se pode fazer o upload e a pré-visualização do livro.

Nessa etapa, se pode armazenar o manuscrito do livro, ver exatamente como ele irá aparecer para quem comprar a versão física de capa comum, capa dura ou e-book. Nesta parte, é necessário que se adicione as informações de ISBN – número padrão internacional de livro, isto é: um número exclusivo que identifica os atributos físicos do livro, como as dimensões, o título e o nome do/a autor/a do livro.

A última etapa, que é a da precificação do livro, a plataforma deixa a critério da pessoa que vai publicar, assim como a definição do preço e royalties do livro, podendo ser modificado a qualquer momento. Para os que irão disponibilizar o livro para compra física, há a possibilidade da solicitação de um “boneco”, livro piloto que se recebe antes da publicação oficial, não sendo obrigatório o pedido desse piloto.

Ao aceitar os Termos e condições do Kindle antes da publicação, o livro entra no processo de revisão da plataforma Amazon que pode durar 24 horas ou até dias para que o livro seja disponibilizado na biblioteca Kindle para downloads.

Partindo de sua experiência enquanto escritora que começou a sua carreira no meio digital, inclusive utilizando de plataformas como o Wattpad, e tendo a sua obra disponível para compra e downloads no site da Amazon Kindle, Clara também dá dicas importantes para escritores iniciantes aperfeiçoarem as suas obras antes de hospedar seus trabalhos no Kindle e distribuí-las de forma paga.

Fala da escritora Clara Alves para a entrevista

EDIÇÃO 2022.2

A invisibilidade que nos cerca

De que perspectiva você enxerga o que está ao seu redor? A segunda edição de 2022 do Impressão Digital 126, produto laboratorial da disciplina Oficina de Jornalismo Digital (COM 126) da FACOM | UFBA, traz diferentes ângulos jornalísticos sobre o que nos marca enquanto sociedade, especialmente àquilo que fazemos questão de fingir que não existe. […]

Turma 2022.2 - 07/12/2022

De R$ 4,90 para R$ 5,20

Aumento da tarifa de ônibus em Salvador afeta rotina de estudantes universitários

Estudantes relatam dificuldades criadas pelo aumento do valor da passagem de ônibus em Salvador O aumento de trinta centavos no valor da passagem de ônibus em Salvador (R$4,90 para R$5,20), anunciado de maneira repentina pela Prefeitura, entrou em vigor no dia 13 de novembro. Tal medida vem prejudicando o cotidiano dos estudantes, especialmente aqueles que […]

Jessica Santana, Laura Rosa, Lucas Dias, Lucas Mat - 07/12/2023

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Bahia é terceiro estado com maior número de partos em menores de idade

Estado registrou 6.625 partos em mulheres de até 17 anos; especialistas apontam falta de acesso à educação sexual como um dos principais motivadores Defendida por parte da sociedade e rechaçada por outra parcela, a educação sexual nas escolas é um tema que costuma causar polêmica quando debatido. Ainda assim, seu caráter contraditório não anula o […]

Larissa A, Lila S., Luísa X., Patrick S - 07/12/2023

catadores da cooperativa Canore reunidos

Desenvolvimento sustentável

Racismo Ambiental em Salvador e Economia Circular

Entenda como esse modelo de produção une sustentabilidade, cooperativas de reciclagem e a luta contra as desigualdades sociais Em meio à crise das mudanças climáticas, a cidade de Salvador tem registrado temperaturas maiores do que a média histórica, chegando a sensações térmicas acima dos 34ºC. Para combater os efeitos do aquecimento global, organizações e iniciativas […]

Anna Luiza S., Jackson S., Luiza G. e Pedro B. - 06/12/2023

Na imagem, uma mulher de blusa verde segura uma cesta com plantas medicinais em frente a uma barraca laranja que tem outras plantas e bananas

Desenvolvimento Sustentável

Feira une produção e consumo sustentáveis na UFBA

Realizada às sextas-feiras, Feira Agroecológica da UFBA se torna elo de ligação entre pequenos produtores e consumidores em busca de alimentação saudável A Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia – apelidada carinhosamente de “Feirinha” – é um projeto de extensão do componente curricular “BIOD08 – Comercializando a Produção Agroecológica”, ministrado no Instituto de Biologia […]

Celso Lopez;Daniel Farias;Jade Araújo;Melanye Leal - 06/12/2023