Tags:, , , ,

Sarau da Onça: A voz da periferia

Thailine Montalvão, Rebeca Almeida e Gabriel Ferre - 07/11/2018

Ressignificação é a palavra chave. Ela define a proposta do Sarau da Onça, grupo que se originou no bairro de Sussuarana, em 2011, com o objetivo de fortalecer uma nova imagem para os bairros periféricos de Salvador, unindo jovens de comunidades marginalizadas em torno da poesia, da música e da vontade de lançar novos olhares sobre as localidades.

“Nossa proposta é fazer com que a periferia desenvolva e consuma sua própria arte”, 

Resume Maiara Silva, membro do coletivo há cerca de um ano. 
Não há cobrança de ingresso para quem quer curtir a música e poesia do Sarau da Onça (Reprodução/Facebook)

O Sarau se tornou ponto de encontro de muitas atividades. Além das leituras poéticas e apresentações musicais, há também a produção de rodas de conversas com temáticas relevantes para as minorias, especialmente para a comunidade negra, e parcerias com outras ações e realizadores culturais da região e de outras localidades da cidade, ocupando um lugar especial na vida da juventude.

Os encontros do Sarau acontecem de forma quinzenal aos sábados. São realizados no Anfiteatro Abdias do Nascimento, localizado na Rua Albino Fernandes, nas dependências do Centro de Pastoral Afro (CENPAH), no bairro de Novo Horizonte.

“Somos jovens moradores daqui, sabemos como tudo funciona.  Um dos objetivos do Sarau é fazer com que a comunidade entenda que a Sussuarana é um local positivo, trazendo a boa visibilidade para o bairro, promovendo nelas o orgulho, a partir daí elas divulgam, participam”.

Explica Sandro Sussuarana, um dos idealizadores do Sarau.
https://www.youtube.com/watch?v=Fqsv-4BhfI8&t=4s
Sandro Sussuarana mandando um recado à todas as periferias.

Concurso Literário Sarau da Onça

Na sua terceira edição, o Concurso Literário Sarau da Onça selecionou poemas e contos de cinquenta autores Soteropolitanos. Os vencedores terão seus textos publicados em um livro, com lançamento previsto para dezembro de 2018, sem custo para os participantes, que vão receber cinco exemplares cada um, a título de direitos autorais.

O III Concurso Literário Sarau da Onça integra o III Festival de Arte e Cultura, realizado durante todo o mês de Novembro, com oficinas de teatro, dança, Hip Hop e criação literária, e é contemplado pelo edital Arte Todo Dia – Ano IV, da Fundação Gregório De Mattos, Prefeitura de Salvador.

Os exemplares da primeira antologia se esgotaram em poucos mais de 3 meses de lançado, passando por locais como 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, I FLICH (Festa Literária da Chapada Diamantina – Lençóis-Ba), Centro Cultural da Penha (SP), Sarau da Cooperifa (SP), Encontro Nacional dos APN’s (MG), entre outros locais, além de ser exportado para países como Gana, Luanda, Moçambique, Espanha e Estados Unidos” .

Conta Sandro Sussuarana
2° Antologia Poética, resultado do II Concurso Literário Sarau da Onça (Reprodução/Facebook)

Slam da Onça

Nas periferias de Salvador, as batalhas de poesia são momentos de criação e resistência cultural e política. A potencialidade desses espaços está no diálogo entre as diferenças, na troca de conhecimentos, na irreverência e na livre expressão de cada participante.

“A intenção principal é de dar voz para pessoas que têm o fôlego sufocado pela sociedade”

Diz Joyce Mello, participante do Slam da Onça
Fase de batalhas do Slam da Onça (Reprodução/Facebook)

O Slam da Onça é o grande destaque dentre as produções do grupo. Na competição de poesias, cada poeta deve recitar poesias autorais em três fases da competição. O vencedor leva para casa um prêmio que varia a cada edição do evento. Maiara Silva, integrante do coletivo, explica que o principal objetivo do projeto é reforçar o senso crítico.

“O principal objetivo do projeto é despertar o senso crítico das pessoas e fortalecer essa forma de arte que chamamos de Literatura Marginal”

Ela explica que o uso do termo marginal remete à produção literária da parcela da sociedade que sempre foi marginalizada socialmente. Sobretudo negros e pobres. O conceito remete ao processo de marginalização do indivíduo não à palavra comumente usada como sinônimo de “ladrão”.

A poesia marginal nas escolas

Ao transformar a realidade das periferias em poesia, e apresentá-lá na sala de aula, o Sarau desperta nos alunos o interesse pela leitura. Seja pela inovação – muitos não possuem acesso a literatura e a poesia de forma viva, oral e performática -, seja pelos temas abordados – o cotidiano das periferias, racismo e violência -, a proposta provoca um grande impacto, instigando a vontade e a curiosidade dos estudantes em participar e conhecer o mundo da poesia.

Todo ano, em outubro, o Colégio Estadual Filadélfia, Vila Canária, desenvolve a Semana de Arte Literária do Filadélfia, um trabalho interdisciplinar onde os estudantes elaboram atividades voltadas para a Literatura e Artes Plásticas. Na edição deste ano, o Sarau da Onça participou mais uma vez das atividades da instituição, elaborando recitais de poesia nas salas de aula. A segunda participação do grupo aconteceu por conta de uma demanda dos estudantes da instituição.

  • Semana de Arte Literária do Filadélfia: Um abraço negro - Literatura, Arte e Periferia

Para Maiara, o convite “foi uma oportunidade do coletivo expandir áreas de atuação”, uma vez que a Vila Canária ainda não tem grupos fortes de poesia marginal.

Para o estudante Daniel Fabrice Oliceira, 11 anos, a poesia ajuda a pensar as diferentes realidades sociais e traçar paralelos com o cotidiano. “Eu ouvi uma poesia que citava a cor da tia Anastácia, do Sítio do Pica-pau Amarelo e logo lembrei do desenho que eu assisto”, conta. Foi a partir dessa associação que o garoto percebeu a carência de personagens negros nos desenhos animados.

https://youtu.be/bI5Z5vj2qNQ
Maiara Silva faz apresentação durante a Semana de Arte Literária do Filadélfia (Vídeo: Rebeca Almeida)

É fundamental o papel da escola na disseminação dos slams e saraus, por meio deles os alunos expressam seus modos de existir e suas reivindicações por uma cultura jovem, popular, negra e pobre, de moradores da periferia. Ao recriarem a cultura oficialmente escolar, esses alunos se tornam agentes de letramentos de reexistência, e a poesia, dessa maneira, se torna porta-voz, pelas quais demonstram sua revolta, sua identidade e resistência.

Mais informações:

Sarau da Onça
Onde: Espaço CENPAH – Centro de Pastoral Afro – Rua Albino Fernandes, 59–C – Novo Horizonte – Sussuarana, Salvador-BA.
Quanto: Entrada Gratuita
Contatos: (71) 993315781 / 987464521 / saraudaonca@gmail.com

EDIÇÃO 2022.2

A invisibilidade que nos cerca

De que perspectiva você enxerga o que está ao seu redor? A segunda edição de 2022 do Impressão Digital 126, produto laboratorial da disciplina Oficina de Jornalismo Digital (COM 126) da FACOM | UFBA, traz diferentes ângulos jornalísticos sobre o que nos marca enquanto sociedade, especialmente àquilo que fazemos questão de fingir que não existe. […]

Turma 2022.2 - 07/12/2022

De R$ 4,90 para R$ 5,20

Aumento da tarifa de ônibus em Salvador afeta rotina de estudantes universitários

Estudantes relatam dificuldades criadas pelo aumento do valor da passagem de ônibus em Salvador O aumento de trinta centavos no valor da passagem de ônibus em Salvador (R$4,90 para R$5,20), anunciado de maneira repentina pela Prefeitura, entrou em vigor no dia 13 de novembro. Tal medida vem prejudicando o cotidiano dos estudantes, especialmente aqueles que […]

Jessica Santana, Laura Rosa, Lucas Dias, Lucas Mat - 07/12/2023

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Bahia é terceiro estado com maior número de partos em menores de idade

Estado registrou 6.625 partos em mulheres de até 17 anos; especialistas apontam falta de acesso à educação sexual como um dos principais motivadores Defendida por parte da sociedade e rechaçada por outra parcela, a educação sexual nas escolas é um tema que costuma causar polêmica quando debatido. Ainda assim, seu caráter contraditório não anula o […]

Larissa A, Lila S., Luísa X., Patrick S - 07/12/2023

catadores da cooperativa Canore reunidos

Desenvolvimento sustentável

Racismo Ambiental em Salvador e Economia Circular

Entenda como esse modelo de produção une sustentabilidade, cooperativas de reciclagem e a luta contra as desigualdades sociais Em meio à crise das mudanças climáticas, a cidade de Salvador tem registrado temperaturas maiores do que a média histórica, chegando a sensações térmicas acima dos 34ºC. Para combater os efeitos do aquecimento global, organizações e iniciativas […]

Anna Luiza S., Jackson S., Luiza G. e Pedro B. - 06/12/2023

Na imagem, uma mulher de blusa verde segura uma cesta com plantas medicinais em frente a uma barraca laranja que tem outras plantas e bananas

Desenvolvimento Sustentável

Feira une produção e consumo sustentáveis na UFBA

Realizada às sextas-feiras, Feira Agroecológica da UFBA se torna elo de ligação entre pequenos produtores e consumidores em busca de alimentação saudável A Feira Agroecológica da Universidade Federal da Bahia – apelidada carinhosamente de “Feirinha” – é um projeto de extensão do componente curricular “BIOD08 – Comercializando a Produção Agroecológica”, ministrado no Instituto de Biologia […]

Celso Lopez;Daniel Farias;Jade Araújo;Melanye Leal - 06/12/2023